Mentalismo - A Ciência do Poder da Mente

>>
Publicidade

Debate

Tamanho do texto:
normal - médio - grande

DEBATES - PREVISÕES, TARÔ, LIVRE-ARBÍTRIO E MENTALISMO
(Condensado de um debate do Grupo taroteimaginacao – Yahoo! – todos os grifos em negrito são de Xenon)

De: Anto
To: taroteimaginacao@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, February 16, 2005 2:53 PM
Subject: [taroteimaginacao] Porque sempre acreditamos no pior??

Por quê temos a tendência a SEMPRE acreditar no pior e duvidar das coisas boas? Estou dizendo isso com relação ao tarot: minha prima foi recentemente a uma taróloga e esta profissional simplesmente arrasou com a coitada da minha prima. 95% das "previsões" que ela fez foram nefastas e 5% foram "razoáveis".
Imagine que a mulher disse até prá ela terminar o noivado, que não ia dar certo, mudar de emprego, ir embora de casa, sem falar nas mortes familiares. Ela me ligou triste, deprimida, meio que desesperada e eu tive um certo trabalho para acalmá-la.
Isso me chamou à atenção prá algo interessante: por quê sempre acreditamos no pior e duvidamos das coisas boas?
Digo isso pq se vc vai a um tarólogo e esse te diz coisas boas, vc as vezes até esquece, ou duvida, mas NUNCA deixa de lembrar das coisas ruins que ele disse.
Sei que isso parece Maktub, mas segundo as minhas pesquisas, isso acontece com a maioria dos consulentes , ou seja, eles se lembram das coisas ruins e esquecem as boas.
O que vcs acham disso?
Como o profissional de tarot deve se portar prá não ser excessivamente Pollyanna com o consulente e não ser um Algoz, como essa foi prá minha prima? Qual é o meio termo?
Antonieta.

De: Kendra
Data: Qua Fev 16, 2005
Assunto: Comportamento do Tarólogo.

Oi Antonieta...

Acredito que o tarólogo deve analisar os dois lados da moeda sempre, se ele vê uma mudança muito drástica para o consulente deve justificar o pq que a mudança irá beneficiar a pessoa. Até pq o tarot nos permite ver estes dois lados e como próprio tarólogo questionar o pq daquela resposta.

Lógico que como consulente tbm ter determinados cuidados em que tarólogo vamos consultar, é muito comum as pessoas não estarem num bom dia, numa boa energia e querer jogar para outras pessoas, não sei qto á vcs, mas, ao meu ver, tarot, tbm é um jogo de trocas de energias.

Não dá para ser excessivamente positivo, como tbm não dá para ser excessivamente negativo, até pq cada vida é uma vida, cada questionamento é um questionamento e por aí vai.

Mas, que há pessoas que têm a capacidade de fazer um jogo extremamente negativo, sei que tem pq já sofri na pele uma situação destas e depois disto aprendi uma lição muito importante, não é pq me dizem que fulana é boa que corro a marcar uma consulta. Prefiro mil vezes aguardar até que alguém de minha confiança esteja disponível para me atender.

Bisous
Kendra

De: Anto
Data: Qui Fev 17, 2005 9:51 am
Assunto: Re: Comportamento do Tarólogo.

Pois é, Kendra, concordo com vc aqui!
A tal taróloga que a minha prima foi, cobra super caro e tal, mas posso te garantir que ela disse um montão de abobrinhas.
E o pior, a taróloga se portava como se ela fosse a dona da verdade, como se a vida da minha prima fosse pro buraco se ela não fizesse exatamente o que ela estava dizendo.
Prá começar, fez uma numerologia errada prá ela (ela grava fita, então eu ouvi as fatídicas abobrinhas que ela falou).
Depois falou um ABSURDO, que a minha prima tinha de dormir com uma tigela grande com água e sal grosso embaixo da cama, perto da cabeça!
Olha, ainda bem que ela me falou isso ANTES de fazer, pq esse tipo de coisa NÃO é indicada NUNCA, pq simplesmente DRENA todas as energias da pessoa, um horror.
Então caímos naquilo que sempre discutimos aqui - é preciso ter ética e responsabilidade. Eu não acho que é positivo um consulente te procurar e sair pior do que entrou. Claro, não sou a favor de ser Pollyanna, mas acho que devemos sempre ressaltar os pontos positivos, apresentar alternativas pro consulente tentar resolver os seus problemas e não dizer que a vida dele não tem solução, pq isso é uma mentira.
Acho que o principal problema de profissionais sérios é esse montão de gente que se diz vidente/tarólogo e que se acha dono da verdade. E no final, o trabalho de pessoas sérias é desacreditado!

Bjs, Antonieta.

De: Kendra
Data: Qui Fev 17, 2005
Assunto: Comportamento do Tarólogo.

Concordo contigo, sorte que sua prima tem vc, senão nem precisa ser vidente pra prever as catástrofes que poderiam ter ocorrido com ela.
É, poucas pessoas têm um senso ÉTICO, acham que precisam de alguém vigiando para que ajam de forma sensata...
Outro dia mesmo conversava com uma pessoa e recomendei a ela que não jogasse qdo não estivesse bem, pois vc abre um campo de energias à sua volta, já ouvi casos de pessoas que aproveitam estes momentos para drenar a energia do consulente, mas, aí é um outro assunto...
Bisous, Kendra.

De: Bruno D
Data: Qui Fev 17, 2005 12:03 am
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Porque sempre acreditamos no pior?? sr_dr_caradepau
Antonieta, foi bom você ter mencionado isso. Eu acho muito importante a pessoa ter ética em tudo o que faz, principalmente quando as pessoas colocam tanta fé nas nossas palavras. Como se falou em tempos, o tarólogo é um psicólogo, estudante, amigo, conselheiro, mas acima de tudo é um profissional. E quando um desses pontos “quebra” as coisas dão para o torto. A pergunta que andava para fazer era, como vocês lidam quando tem de dar uma notícia que vai “ferir” a pessoa? Isto é, em casos que uma mulher está perdidamente apaixonada por um cara, e as cartas que saíram mostram que ela, se continuar na relação, só vai sofrer, ou em casos mais extremos… a morte de um filho ou de um amigo… como vocês lidam com esses casos? Falam para a pessoa? “Mascaram” a noticia e vão “anestesiando” a pessoa ate darem a noticia? Ou simplesmente omitem?
A imagem nestes casos é parecida com a que um médico tem de dar uma notícia triste para o paciente ou para a família do paciente.
Eu nunca lancei as cartas para ninguém, estou estudando e como eu infelizmente já me conheço, sei que só quando estiver muito seguro em relação ao tarot é que conseguirei lançar para alguém. Mas acho que quando a pessoa já tem essa segurança e tiver a total certeza (se isso alguma vez existiu) do que está à sua frente deve dizer o que leu, porem não pode ser a seco, como foi no caso da prima da Antonieta, ela saiu pior do que quando entrou. Todas as coisas têm várias formas de se dizer, o Gil Vicente dizia “ridendo castigat mores” (a rir é que se vão dizendo as verdades) ela podia ter dito o que disse mas de uma forma em que a pessoa ao sair da consulta fosse avisada não apavorada.
Acho que definitivamente que esse não é um bom profissional.
Antonieta, o que lhe posso dizer é… compre umas almofadas e boa sorte, porque vai ficar longas horas ao telefone com a sua prima, pelo menos enquanto ela não esquecer o que essa mulher disse.
Beijos, Fica bem.
Bruno D.

De: Anto
Data: Qui Fev 17, 2005 9:56 am
Assunto: Re: Porque sempre acreditamos no pior??

Olha Bruno, o que me revoltou no caso da minha prima foi que eu nunca vi, em nenhum momento, quando coloquei minhas cartas, absolutamente NADA do que ela disse.
Não vejo as coisas como ela viu, de jeito algum. É por isso que perguntei do 'pq sempre acreditamos no pior", pq no caso minha prima ficou impressionada com as coisas horrendas que a taróloga lhe disse, mas ficou mais inclinada a acreditar que essas coisas ruins são "verdadeiras" do que o contrário (as boas que eu havia
visto prá ela). Então é isso , eu pergunto pq isso acontece com a gente - será auto-sabotagem?
Bjs, Antonieta.

De: Claudia
To: taroteimaginacao@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, February 17, 2005 5:58 PM
Subject: [taroteimaginacao] Previsões e livre-arbítrio

Olá, lista.

Achei muito interessante essa observação da Anto. Infelizmente, existem pessoas que numa leitura nos derrubam, ou tentam fazê-lo. Mas, por outro lado, alguns videntes, tarólogos, etc., nos dizem coisas tão boas que também é difícil de acreditar. Por que será que temos essa dificuldade de acreditar em coisas boas? Não sei, mas foi bem colocado pela Anto. Adoro tarólogos, videntes e cia. O mundo esotérico sempre foi maravilhoso aos meus olhos, como aos de vcs, acredito. Sou curiosa de natureza e, talvez por isso, queira saber o que será do meu futuro, seja ele próximo ou distante. Estou sempre indo a tarólogos e videntes; mesmo que no fundo eu só acredite no que quero. O último vidente que fui foi maravilhoso. É uma pessoa que possui uma luz tremenda e nos faz sentir leves como uma pluma. Nos inspira muita confiança e o que é melhor: dá nome aos bois. Ele fala o nome das pessoas e isso não aconteceu só comigo. Fala nomes mesmo; os mais impossíveis. Me fez previsões maravilhosas, mas achei difícil de acreditar. Fui a outra, confirmou o que ele disse. Ainda não contente, fui a outra, que também me confirmou e mais outra que também confirmou.
Na verdade fui em 5 pessoas, entre tarólogos e videntes, para confirmar uma situação; isso sem contar a previsão que eu mesma fiz pra mim. Estou relatando esse fato pq ele acontece com milhares de pessoas. Muitas vão a tarólogos e mais tarólogos em busca de confirmações. Aqui cabe a pergunta: qual a validade de uma leitura? Fui num tarólogo e depois de três meses voltei no mesmo, pela minha ansiedade, e também porque algumas coisas aconteceram, outras, não. Muita coisa mudou nesse prazo para susto dele, mas o foco principal continuava o mesmo. Ele fala muito em livre-arbítrio. Aqui vai outra pergunta: até que ponto o livre-arbítrio pode interferir numa previsão? Por exemplo: se foi previsto que fulana tomaria determinada atitude ou que aconteceria determinada coisa num prazo X, o que pode interferir na previsão e mudar o rumo da coisa toda?
Beijos, Cláudia.

De: Kendra
Para: taroteimaginacao@yahoogrupos.com.br
Enviada em: quinta-feira, 17 de fevereiro de 2005 12:07
Assunto: [taroteimaginacao] Previsões e livre-arbítrio

Oi Cláudia, vou responder com base na minha experiência ok?
Qual a validade de uma leitura?
- Depende não há um prazo certo para as coisas acontecerem, vai da visão do tarólogo, por exemplo, já coloquei cartas para uma pessoa e hoje 3 anos depois ainda estão ocorrendo o que foi previsto. Mas, agora nos foquemos na pessoa em questão:- Ela por si só, é uma pessoa que vai mais lenta, demora a tomar decisões, está presa na casca. Só que como previsto, de um momento para outro ( o que era basicamente impossível, na visão dela mesma), ela tomou as rédeas da vida dela com tanta garra que eu até duvidei, achei que fosse fogo de palha, mas, não foi, aconteceu exatamente como previsto no Tarot, as decisões dela tiveram como base a religião, ela encontrou o caminho e a força que tanto buscava.
Num contexto totalmente diferente, já joguei para pessoas que eu jogava hoje, menos de cinco dias, as coisas começavam a acontecer ( Eu que sou boa, não, ao me comunicar com a pessoa, me comunico com seu subconsciente...outro assunto.), a pessoa tem como que um desperte, ela se abre aos acontecimentos.
Mas, o prazo mais comum é de um ano.

Até que ponto o livre-arbítrio pode interferir numa previsão? Por exemplo: se foi previsto que fulana tomaria determinada atitude ou que aconteceria determinada coisa num prazo X, o que pode interferir na previsão e mudar o rumo da coisa toda?

- O livre arbítrio sempre estará presente, tudo que vc consegue prever pode ser mudado, temos nossas próprias escolhas, basta nos lembrarmos e no momento do acontecimento, desviarmos o caminho. Só que nem sempre lembramos, eu por ex., sou uma destas pessoas que deu meia hora já esqueci de tudo e só depois qdo começa a acontecer ou depois que aconteceu me lembro. Raros são os casos que a pessoa não tem escolha, mas, como digo, foge novamente o assunto.
Bom esta é minha opinião a respeito.
Bisous, Kendra.

De: Claudia
Olá, Kendra.
Obrigada pela resposta; foi elucidativa. Fiquei interessada nessa comunicação com o subconsciente da pessoa. Como isso funciona exatamente? É necessário alguma preparação? Qual ou quais?

Beijos, Cláudia.

De: Kendra
Data: Sex Fev 18, 2005 1:49 am
Assunto: Previsões e livre-arbítrio
Cláudia vou de vermelho...
----- Original Message -----
From: Claudia
To: taroteimaginacao@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, February 17, 2005 11:55 PM
Subject: Re: [taroteimaginacao] Previsões e livre-arbítrio

Olá, Kendra.
Obrigada pela resposta; foi elucidativa. Fiquei interessada nessa comunicação com o subconsciente da pessoa. Como isso funciona exatamente? É necessário alguma preparação? Qual ou quais? Gostei do tema.:)
Toda forma de comunicação pode comunicar com seu inconsciente, uma propaganda na tv, rádio, outdoor, música, por isso o nome comunicação... Existem diversas formas de se aprender e aprofundar á respeito.
No tarot, não é muito diferente, uma pessoa vai te procurar, pois precisa de ajuda para um determinado problema e vc dá á ela uma resposta a esmo, mas, esquece que aquela pessoa está atenda no que vc diz e leva consigo suas palavras, o que acaba se transformando em realidade, justamente por vc ter falado indiretamente, com ela...

Deixa eu tentar simplificar, suponhamos que vc ouça a vida inteira que é feia, vc acredita nisto e de repente nem é feia, mas, vc acredita nisto, um belo de um dia, vem alguém e lhe diz que vc é linda, divina, maravilhosa, na hora vc nem dá bola, acha que o sujeito é maluco e volta a sua rotina normal, pois bem, no dia seguinte, seu brilho é diferente e mais uma pessoa, faz as mesmas declarações posteriores, até que vc chega em casa e se olha no espelho e passa a perceber sua beleza, ou seja, vc quebrou um padrão comportamental, um paradigma, o primeiro alguém, falou com "inconsciente".

Sinceramente Cláudia, este é um assunto que deve ser estudado, mergulhado e não será em algumas linhas que irei lhe explicar, se lhe interessou realmente, pesquise, mergulhe nele, tenha uma meta, será melhor vc buscar que eu convencê-la das minhas crenças, experiência...rs
Procure por mensagens subliminares, Jung, Freud, filosofia e afins, vc vai acabar entendendo.
Sei e acredito que podemos mudar nosso caminho, mas, por exemplo, se alguém diz a vc que determinada pessoa vai te procurar ou te telefonar, ou que vc vai ou não passar no vestibular, como pode mudar isso? A ligação da pessoa não depende de vc. O vestibular até depende, pq a pessoa em questão sabendo que não vai passar, começa a estudar dali em diante e pode mudar o caminho, mas um telefonema, um encontro como?

Se determinada pessoa vai me telefonar, se tenho telefone, este é um comportamento normal, mas, digamos que não quero atender esta pessoa, desligo o telefone, peço que outra pessoa o atenda, os meios são tantos... Me dizem que determinada pessoa vai me procurar e não quero falar com esta pessoa, ela bate em minha porta, peço que outra pessoa a atenda e diga que não estou. Se me dizem que não vou passar no vestibular, mas, é exatamente o que eu quero, estudo, dou o máximo de mim e passo.
O meu livre arbítrio depende de mim, jamais os de terceiros, isto não quer dizer que estou a mercê deles...
Kendra - Beijos, Cláudia.

De: Anto
Data: Sex Fev 18, 2005 9:09 am
Assunto: Re: Previsões e livre-arbítrio [p/Kendra]

Nossa, você já ouviu boatos dizendo que em muitos comerciais de tv existem "mensagens sublimares", ao mesmo estilo neuro-linguístico que os nazistas usavam, só que prá fazer-nos consumir ao máximo determinado produto?
Anto

De: Anto
Data: Sex Fev 18, 2005 9:08 am
Assunto: Re: Previsões e livre-arbítrio [p/Claudia]

Olha, nessa questão de telefonemas ou a pessoa te procurar, posso falar da minha
experiência pessoal. O que captamos no tarot é o inconsciente da pessoa - por exemplo, a pessoa
QUER TE LIGAR, QUER TE PROCURAR - na hora que vc perguntou, ela está com
isso na cabeça, com essa vontade. Só que aí é que entra o "livre arbítrio" da pessoa.
Ela pode querer intimamente fazer alguma coisa, mas talvez falte coragem, ímpeto,
oportunidade, etc...
Olha, eu tirava sempre que certa pessoa ia me ligar - e a pessoa não ligava NUNCA! Claro, depois ela ligou e eu fiquei sabendo que ela tinha vontade de ligar há muito tempo, "mas não sabia se devia", "não se sentia segura prá ligar", etc... Então eu acho que é por isso que essas "diferenças" acontecem.
Já no vestibular, acho que a pessoa não passa se relaxar - tipo, até a consulta, com o esquema de estudos e tudo, o tarot indicava que a pessoa ia passar. Talvez já se achando "dentro da universidade", o consulente relaxou nos estudos e por isso não passou (esta é apenas a minha opinião).
Bjs, Antonieta

De: Luciana
Data: Sex Fev 18, 2005 2:48 pm
Assunto: O Livre-arbítrio e você! Nada Haver!
Em falando de livre-arbítrio, e seu destino. Na minha opinião uma coisa não tem haver com a outra. Liberdade para fazer o certo ou errado, é certo que temos, mas daí dizer que nós determinamos nossas vidas, isso é uma completa mentira, porque se seu patrão decidir te demitir, ou um assaltante decidir te dar um tiro, você não vai ter domínio nenhum sobre essa situação e com as conseqüências dela.
Estamos infelizmente, com nossas vidas desde que nascemos até a nossa morte nas mãos dos outros. Onde fica a minha decisão em viver, ou morrer, ou ser feliz ou ser triste!
Luciana
P.S.: E não venham me dizer que podemos impedir os outros de agirem contra ou a favor de nós!

De: Xenon

Kendra (para a lista!),

Já enviei várias mensagens ligadas ao conteúdo da minha página Mentalismo - A Ciência do Poder da Mente e não houve comentários talvez porque este Grupo é de assunto específico: tarot.
O Assunto deste seu e-mail, entretanto, enfoca diretamente o tema da minha página e é extremamente importante para as pessoas, por isso, gostaria que você abiscoitasse um pouquinho do seu tempo e desse uma olhadinha lá para ver se gosta e possa recomendá-la quando for o caso.
Minha opinião nesse difícil tema é que o livre-arbítrio existe sim, pois é esta a característica que diferencia o ser humano dos animais.
Deus, seja Ele para você, uma pessoa ou a Natureza, etc, quis que o ser humano fosse diferente, por isso deu-lhe a capacidade de escolha. Esta escolha se dá a partir do pensamento, visto que você pensa o que quiser: pode-se agradecer por um insulto e até praguejar por um benefício que lhe tenham feito.
O Mentalismo ensina a repetir-se pensamentos bons para que os resultados beneficiem a você, aos seus, e até a Humanidade e o ambiente! Quanto à duvida da missivista que diz estar nossas vidas nas mãos de terceiros, pode-se responder-lhe que a recíproca é verdadeira: assim como o pensamento negativo do bandido pode tirar a sua vida, o seu pensamento harmonioso pode livrar você, como tem acontecido inúmeras vezes. Por outro lado, difícil seria levar uma existência na qual
você não tivesse nenhuma influência, e quem acredita e acompanha os temas esotéricos, sabe que, alimentar tal idéia levará qualquer um ao desespero. Assim... Vida! Alegria! Boa Sorte.

Xenon - o Mentalista.

De: Vera Chrystina:
Oi Xenon!,

Entrei em seu site e gostaria de lhe parabenizar! Apesar de sermos uma comunidade de tarô acho importantíssimo o Mentalismo.
Tanto na astrologia como no tarô explico para os clientes que se eles não mudarem suas emoções negativas, padrões repetitivos e pensamentos negativos não há trabalho de magia que ajude! rsrsrsr
O universo é mental (Caibalion) esse já é um primeiro fato importantíssimo para estudarmos o Mentalismo.
Pratico todos os dias e com isso resignifico minhas emoções. Faço muitas leituras sobre o poder mental.
Recomendo aos meus clientes “Alegria e Triunfo” do Lourenço Prado, que a maioria das pessoas podem achar banal, mas lá está a chave correta para se conectar ao seu Eu Superior e calar as vozes do nosso subconsciente que em tudo acredita e acaba minando nosso potencial fazendo-nos acreditar que não obteremos o sucesso, a paz, a prosperidade.
Gosto muito do José Silva (Mind Control) que também ensina as técnicas de se entrar em estado Alpha e fazer as telas mentais.
Os próprios Kahunas já sabiam dos nossos eus: Inferior, Médio e Superior e que tínhamos que ter controle sobre eles. Isso bem antes de Freud!
O nosso plano mental precisa de higiene tanto como nosso corpo físico, mas a maioria das pessoas não sabe disso.
Acho importantíssima sua participação na lista dando sugestões e nos ensinando. Só vai acrescentar.
O tarólogo para ser completo precisa estudar outras áreas de conhecimento para que seu trabalho seja realmente produtivo e ajude de fato o consulente.
Seja bem vindo!

Um beijo!
Vera Chrystina


De: Claudia
Xenon,
Eu tbm já acessei sua página e gostei muito. Adoro o Mentalismo. Tbm sou convicta de que a mente é tudo em nossa vida e de que um pensamento bem direcionado pode realizar milagres.

Vera, achei muito interessante vc falar do livro Alegria e Triunfo. Eu já o conheço há quase 18 anos. Ele mudou minha vida, e para melhor. O tenho até hoje, meio roto é verdade, de tanto que li e reli, mas até hoje não encontrei nada melhor para impressionar positivamente meu subconsciente. Ele está até hoje bem gravado na minha mente.
Vera, se possível, gostaria de conhecer sua visão do livre-arbítrio numa leitura de tarô. Tipo assim: alguém diz que vc receberá um presente ou uma quantia de dinheiro de uma determinada pessoa num prazo tal, e não acontece. O livre-arbítrio entrou nessa questão de que forma? E como o leitor não previu essa mudança? Pergunto pq cada um tem uma visão diferente das coisas e gostaria de saber qual a sua, qual a do Xenon, qual a da Denise e de todos os participantes do grupo que ainda não se manifestaram a respeito.

Beijos, Cláudia.

De: Vera Chrystina
Data: Seg Fev 21, 2005 10:08 am
Assunto: O Livre - Arbítrio

Eu acredito que temos o poder de escolha. Abordei este assunto quando falei do Arcano Os Enamorados. Fazemos escolhas o tempo todo, 24 horas por dia, tais como: que roupa vou usar hoje, vou estudar ou não, assistirei este filme ou o outro... Resumindo, estamos sempre escolhendo.
Precisamos sair de nosso foco para entendermos que o nosso universo é sujeito à leis. O Caibalion é um ótimo livro para que compreendamos estes pontos. Se estamos sujeitos à leis maiores, leis que fazem parte de um todo, para que o universo possa se manter estável, percebemos que não temos tanto livre-arbítrio assim.
Por exemplo: Se a Lua resolve mudar seu movimento ela trará caos para a Terra e outros pontos de nosso cosmos. A Lua não pode mudar sua trajetória porque ela quer, ela está subordinada à leis do universo. O mesmo acontece com os seres humanos e à todas as coisas vivas de nosso universo. Estamos subordinados à leis maiores de que não temos consciência.
O homem ainda não entendeu que ele é uno com o Universo. Por ter um cérebro mais complexo ele se acha o centro do mundo. Percebe o universo conforme os seus interpretadores e cada um interpreta o universo de sua maneira, daí a grande diversidade humana. O Homem se afastou da natureza e com isso perdeu contato da realidade maior que o cerca.
Os sábios entenderam essas leis e entendendo como funcionam não ficam a mercê do destino, como tantos de nós, que estamos imersos em nossa ínfima ignorância. Percebendo isso, não ficam como um joguete, um tronco que vai descendo o rio sem direção nas mãos do tão famigerado destino. Mas mesmo os sábios estão sujeitos à essas leis porque elas fazem parte do nosso universo, não dá para escapar. Somos subordinados à elas, acreditem ou não............
Se colocarmos nosso foco para além da terra, veremos que somos grãozinhos de areia neste vasto universo. Nossa importância pode ser ínfima, mas como somos dotados de um cérebro complexo nos tornamos os senhores detentores do poder. O homem não é o centro do Universo.
Muitas vezes tem que vir um Tsunami para que ele perceba que existem forças superiores à ele.
Sugiro ao Grupo que leiam Caibalion. Lá vocês podem encontrar muitas respostas e entendimentos sobre essas leis que nos permeiam.
Beijos ao grupo!
Vera Chrystina - Vou continuar colocando o ponto de vista do livre-arbítrio pela astrologia.

De: Xenon
Cara Chrystina:
Muito grato pela sua Mensagem altamente culta e incentivadora.

Cara Cláudia: Fico agradecido por seus incentivos. Como sabemos, o tarot, assim como outros jogos divinatórios, acessa o subconsciente do consulente e também o de quem lança as cartas no momento. O cruzamento dessas duas percepções e o conhecimento das circunstâncias conscientes, é que forma as orientações a serem passadas ao consulente. Devo informar que não sou tarólogo, embora seja estudioso de todas as formas de esoterismo há mais de 30 anos. Aceitando-se as premissas acima colocadas quanto ao cruzamento de informações, é certo que o livre-arbítrio do consulente irá influenciar os acontecimentos futuros. Por isso, cabe ao tarólogo orientá-lo quanto a vigiar os seus pensamentos. Esse assunto pode-se estender a outras áreas importantes de conhecimento: destino, reencarnação e a questão: "pode-se morrer de véspera?"
Obrigado.
Xenon - o Mentalista.


De: Vera Chrystina
Data: Seg Fev 21, 2005 5:22 pm
Assunto: A Transmutação Mental

Coloquei nos arquivos o livro Caibalion. Estou mandando este texto porque tem tudo haver com o Mentalismo. Este livro é muito bom e profundo, mais que isso, importantíssimo para entedermos até como o tarô e a astrologia funcionam dentro destas mesmas leis.
Beijos!
Vera Chrystina

De: Vera Chrystina
Oi Denise, obrigada pela fada. Adorei!!!!!! Sheila obrigada pela Mensagem de carinho pelo meu aniversário!!!!! Agradeço também ao Xenon, a Andrea Rachel pelo carinho e boas palavras........ Cláudia, concordo com a explicação do Xenon, mas depois estarei postando mais algumas idéias sobre sua pergunta.
Kendra, vou dar uma olhada na sua mandala e te respondo.
Xenon: Pode-se morrer de véspera?
Se esqueci alguma coisa, logo estarei postando!
Beijos fraternos ao Grupo!
Vera Chrystina

De: Cláudia
Olá, Xenon,
Não sei se estou sabendo me explicar no que diz respeito ao livre-arbítrio.
Eu sei que muitas coisas dependem de nossas ações; pra toda ação há uma reação. Muito bem. Mas no que, onde ou por que o MEU livre-arbítrio pode interferir, por exemplo, no telefonema que uma outra pessoa vai fazer (e não faz). A previsão é de que fulano agiria de tal forma no Natal, já passou o carnaval e fulano não agiu como foi previsto. Então, que previsão foi essa? E quando isso é perguntando ao tarólogo a resposta é que o livre-arbítrio interferiu. Mas qual, de quem? E onde entra a previsão nisso tudo? Acredito que previsão é uma coisa e possibilidade outra diferente.
Beijos, Cláudia.

De: Xenon

Cláudia:

O Subconsciente, ou Inconsciente, ou ainda o nome que lhe queiram dar, registra um quadro atual sem barreiras no tempo. Este quadro é captado no momento do lance. Mas ele pode ser mudado, caso contrário seríamos fantoches. Há estudos sérios e profundos que APÓIAM esta idéia; desde Carl Jung, Freud a antigos filósofos e inúmeros autores modernos.
Não devemos confundir ação com pensamento positivo. Aquela segue a este. Este último deve ser emocionalizado e "em divina ordem", isto é, sem a pretensão de alterar a ordem do Universo - que é coisa da Divindade. O SEU livre-arbítrio não vai interferir necessariamente no tal telefonema, a menos que você se propusesse mentalizar nesse sentido, em face de alguma forte razão. O livre-arbítrio da pessoa em questão, pode. Digamos que o telefonema previsto diga respeito a um comunicado altamente perigoso ou comprometedor. A pessoa, ao aproximar-se o Natal, teve o seu emocional fortemente afetado por algo que então lhe foi revelado; em função disso tenderá, digamos, a evitar efetuar a ligação. Nesse caso, o pensamento que o Subconsciente entretinha no momento do lance e que foi captado, era o do desejo que o consulente viria ter de fazer a ligação telefônica. Este pensamento realmente estava ali e foi captado corretamente. Faltou a captação dos demais elementos. Esta opinião baseia-se na natural hesitação presente em todos que lidam com o esotérico e em especial com previsões. Não podemos confundir previsão com profecia, esta sim, por ser dogma religioso tem que ser imutável. A previsão astrológica, a do tarot, runas, I Ching, espiritistas, as quiros, etc, sempre permitiram um hiato no seu grau de precisão. Permita-se, não obstante, exercer sua missão com confiança. Tente conhecer a pessoa que lhe procura a fim de fazê-la lidar adequadamente com o que as cartas dizem.
Obrigado, Xenon - o Mentalista.

De: Xenon

Cara Vera: A questão sobre se é possível "morrer de véspera", isto é, morrer antes da hora, tem a ver com a missão que cada um vem cumprir nesta dimensão e com a doutrina da reencarnação. Acho, e é só uma opinião, que uma coisa depende da outra. Se não há reencarnação não há missão, pois por que encarnaríamos se não tivéssemos algo a fazer aqui? E se efetivamente cumprimos o que tínhamos a fazer, prá que voltar? Esse assunto é mais um dos muitos espinhosos com que nos deparamos, mas é justamente isto, esses mistérios, o que nos atrai no esoterismo, não é?
Obrigado,
Xenon.

De: Vera Chrystina
Data: Seg Fev 21, 2005 6:19 pm
Assunto: O mapa astral e o livre-arbítrio

Falar sobre este tema é difícil e complexo, mas de qualquer maneira vou dar o meu pitaco.
O mapa astral é o mapa do seu temperamento. Ele indica os pontos onde você tem mais habilidades e outros pontos onde você terá que fazer algum esforço para poder melhorar. Existem mapas cujos temperamentos são mais fáceis, mais harmônicos e outros que traduzem um grau forte de dificuldades.
Tendo entendimento de como você funciona (o mapa permite esse conhecimento) você pode resignificar suas emoções e com esforço tentar melhorar nestas determinadas áreas. Isso se você tiver vontade e capacidade real de evoluir.
Eu sou aquariana, lua em áries, ascendente em áries, o que me dá características mais racionais (Aquário) e mais instintivas (Áries). Terrível para alguns e mais fácil para outras pessoas. Esse é o meu temperamento.
Eu poderia não querer ser assim. Eu poderia querer ser mais carinhosa, ter muitos filhos, lavar o carro no domingão, arranjar um bom marido e ser feliz. Isto não faz parte do espectro do meu mapa. Claro que se quiser casar eu poderia, mas tal ato exigiria muito de mim. Teria que resignificar muito minhas emoções, fazer muita tela mental para alcançar o meu objetivo. Será que eu escolhi vir ser assim ou isto já veio predeterminado por alguma coisa maior. Será que ser aquariana e ter o mapa que eu tenho foi determinado pelo meu livre-arbítrio, pela minha escolha? Não sei responder....
No mapa natal temos as casas que indicam irmãos, filhos, maridos e pais do indivíduo. Se temos um planeta nestas casas, este planeta determina não quem vai ser meu marido ou pai, ou filho, mas determina um potencial de energia latente que determina por sua vez o temperamento do filho, marido, pai, mãe.
No seu mapa natal já está intrínseco o temperamento de todos os seus familiares mais próximos. Isso já vem pré-estabelecido em seu mapa. Você pode ser jovem agora e não ter filhos. Olhe no seu mapa natal a sua casa 5. Que planeta está lá? Que aspectos este planeta faz com outros? Esta casa e este planeta já estão falando do seu filho antes dele nascer. A sua casa 7 também está falando do seu futuro marido, o sol de seu pai, a lua de sua mãe. O mapa também traz os seus ancestrais, aquilo que foi herdado e aquilo que ainda será vivido.
Como o mapa natal pode saber disso tudo? Será que sou assim tão livre como penso, ou a Vera já esta de uma certa maneira com seu caminho, digamos, já um pouco delineado?
Loucura! O mapa nos fornece estas pistas. Quanto mais estudo percebo isso. Não quero fazer a cabeça de ninguém por causa disso.
Este também é mais de um motivo que me faz um tanto cética em relação ao livre-arbítrio. Claro que temos poder de escolha, podemos melhorar, podemos ser mais CAUSATIVOS, mas temos que estudar, entender como funcíonamos, pesquisar para se chegar a estas respostas.
Estou colocando o que eu penso e todos tem o direito de discordar. Não sou dona da verdade e posso estar completamente errada, mas adoro investigar.
Vamos apimentar nossa lista!
Beijos fraternos!
Vera Chrystina.

De: Kendra

Saudações Xenon e Lista.

Sou praticante do Mentalismo e o assunto a que me referi, não foi sobre ele, mas, sim, o PODER que certas palavras, conselhos e até desaconselhos geram nas pessoas de uma forma geral. Falo de algo inconsciente, não consciente, apesar que sabemos que isto tbm ocorre de forma consciente. Lógico que sabemos de pessoas que treinam a mente para entender, trazer para si o que é bom e jogar o que é inútil fora.
Mas tbm sabemos e vivificamos problemas, nem sempre nosso estado emocional está em alta, as vezes somos impacientes demais, queremos acontecimentos rápidos, o que acaba nos maleficiando até mesmo em nosso livre arbítrio, qdo nos deixamos convencer do que será "melhor" para nós.
Este assunto trata de algo real, vivido por todos nós diariamente, penso que a capacidade de discernimento é de cada um, nem tudo que é bom para mim, será para ti e vice-versa. Qdo aconselhei a Cláudia a se aprofundar no assunto, foi justamente para que ela tirasse suas conclusões, que utilizasse o livre-arbítrio dela e conseguisse enxergar sobre os próprios prismas dela. Acredito sinceramente que uma pessoa deve acreditar em algo com base nas experiências e nos conhecimentos que adquire e ela "não" terá este conhecimento, experiência se não bater uma informação com a outra, questionar sobre a nova informação, dar utilidade a ela. Sem contar que tudo que nos vem mastigado, nem sempre tem o mesmo valor do que nos é vivenciado.
Ao ler a Mensagem da Cláudia, imaginei que ela talvez quisesse questionar o "destino", mas, em nenhum momento ela tocou neste aspecto. Creio que a Luciana (me perdoe se não for este o nome), falou sobre ladrões, desemprego e foi taxativa em sua colocação.
Certa vez questionei meu Guia, sobre isto e a resposta que obtive, achei muito interessante e creio que não venha ao caso neste momento, por se tratar de assunto pessoal, um caminho que trilhei e fui em busca da minha resposta. Mas, algo posso salientar, moro em São Paulo minha vida toda e fui assaltada com uma arma em minha cabeça. Todas as vezes que algo ruim iria acontecer, e eu sentia, tomava minhas precauções; isto não quer dizer que "nunca" fui roubada, fui sim, muitas vezes, pra terem uma idéia, já arrancaram até a porta do meu carro, tudo para levar um aparelho de som, sem contar o carro que tirei na concessionária, zerinho e seis horas depois, já era. Um roubo nada tem a ver com o livre-arbítrio.
Livre-arbítrio está em opinar, decidir o rumo que irá seguir. Creio que como estudantes, praticantes do misticismo, esoterismo, temos que ter uma consciência diferente sobre as balelas da vida e como "jogadores" de tarot, uma maior responsabilidade, em relação a nós mesmos e àqueles que por ventura, venham nos consultar.
Bisous. Kendra

De: Xenon
Kendra:
Concordo plenamente com seu texto.
Muito obrigado, Xenon.

De: Claudia
Valeu, Xenon. Obrigada. Cláudia.

De: Cláudia
Data: Seg Fev 21, 2005 6:54 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] O mapa astral e o livre-arbítrio

Vera,

Já que estamos ainda falando de livre-arbítrio, assunto que coloquei na roda com minhas dúvidas referentes às previsões, quero dar um palpite em relação a destino e livre-arbítrio. Penso que destino, por exemplo, é ir pra São Paulo e que livre-arbítrio será a forma como chegarei lá. Seja pela Castelo Branco, seja via Campinas, pela Bandeirantes, seja por sei lá qual outra estrada, ou mesmo de carro, avião, carona, a pé, enfim. Desta forma meu destino continua sendo São Paulo, mas o caminho para chegar lá pode ser diverso, rápido ou demorado, dependendo das minhas escolhas. Concorda?

Beijo,
Cláudia

De: Vera Chrystina
Data: Seg Fev 21, 2005 7:26 pm
Assunto: Oi Cláudia

Oi Cláudia!

Concordo com você e achei excelente seu exemplo! Muito claro! O ser humano tem o seu poder de escolha. Se não tivéssemos poder de escolha morreríamos. Temos metas, desejos e sonhos e podemos decidir como atingi-los.
Quando falo que não estamos totalmente livres é no sentido de que existem certas leis que nos regem. Estamos submetidos à elas. Importante ler o Caibalion.
Vou dar o exemplo do mapa da Antonieta e acho que ela me permite. A Antonieta tem muitos planetas em sua casa 4 ( família) e a Anto sempre nos escreve de como a família dela exige seu carinho e atenção. Talvez a Anto quisesse ser mais livre, ter mais tempo para si mesma, no entanto existe uma cobrança forte em sua estrutura familiar. Será que ela escolheu isso? Realmente não sei responder. Mas isto está intrínseco em seu mapa natal.
É neste ponto que questiono o livre-arbítrio total. Mesmo fazendo o que eu desejo não devo me esquecer da lei de causa e efeito. Se não tenho conhecimento dessas leis eu posso me danar.
Existem mapas onde não há indício da pessoa ter filhos. Vamos supor que esta pessoa deseje demais ser mãe. Ela até engravida, mas se temos por lá um planeta tenso ela pode vir a abortar ou perder esta criança.
Existem escolhas que são mais fáceis e existem escolhas que são mais difíceis de serem atingidas.
Acredito muito que podemos mudar, resignificar nossas ações. O Mentalismo é uma ferramenta poderosa para isso e é realmente importante que saibamos praticá-lo.
Talvez a dúvida fique por conta do livre-arbítrio. Para mim esta palavra está carregada demais. Ela me sugere que posso fazer tudo e que com isso não arque com as responsabilidades. Talvez eu tenha um peso com esta palavra e por este motivo goste de usar mais a expressão poder de escolha.
De maneira geral eu não posso fazer tudo o que eu quero. Não posso sair por São Paulo pelada sem ser presa. Sou submetida pelas regras de uma sociedade que me impõe limites. Se sair matando as pessoas serei presa. Não posso desmatar a floresta e não esperar uma reação da natureza. Será que somos tão livres assim?
Mas vamos trocar opiniões, quero poder entender mais sobre este tema.
Beijos!
Vera Chrystina

De: Cláudia
Data: Seg Fev 21, 2005 7:55 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Oi Cláudia
Vera,

Não entendo nada de mapa astral. É um assunto totalmente estranho pra mim. Mas acho que o caso da Anto pode ser assim, (com licença, Anto, vou dizer inverdades com seu nome, mas apenas para exemplificar): O destino dela, no caso, era vir pra esta família. Tinha (tem) uma missão a cumprir com ela. A forma como está cumprindo faz parte de seu livre-arbítrio. Ela escolhe acreditar que a família é um fardo pesado (é apenas um exemplo) ou escolhe acreditar que a família é uma bênção e passará pelo sofrimento resignada, mas com certo otimismo.
Eu acho que a gente pode resgatar muita coisa nesta vida. E acho que devemos aproveitar essas oportunidades, embora não seja tão fácil agir quanto falar.
Acho que no meu destino está aprender o significado das cartas do tarô profundamente. Se aprenderei ou como aprenderei já faz parte do meu poder de escolha - como vc gosta de dizer.

Beijo,
Cláudia

De: Vera Chrystina
Data: Seg Fev 21, 2005 8:05 pm
Assunto: Re: Oi Cláudia

Com certeza Cláudia! Concordo com você!
Este assunto é complexo e dá pano para mais de metro!!! rsrs
Beijos!

Vera

De: Vera Chrystina
Data: Ter Fev 22, 2005 1:31 pm
Assunto: Oi Antonieta!

Muito obrigada pela sua permissão. Como você já havia aberto este ponto ao grupo achei interessante ilustrar o tema com o seu mapa.
É isso amiga! Pelo que vejo você entende muito de astrologia!!!!!
A astrologia traz estes paradoxos. Faz com que eu me questione sobre muita coisa do que eu já havia aprendido.

Um outro mapa que eu fiz para o grupo foi sobre a eleição de Bush. Os aspectos positivos de suas direções indicavam sua reeleição. Os aspectos tensos de seu opositor indicavam a perda. Bush tinha realmente pelo mapa muitas chances de se reeleger. Agora pergunto: o povo queria isso? A maioria queria isso? A resposta é não. A vitória de Bush estava conspirada pelos planetas? Sim!!!! Quando percebi isso pirei!!!!! rsrsrsrsr A maioria das pessoas tem consciência disso? Não!!!

Tenho uma amiga astróloga que fez um trabalho muito interessante sobre o mapa astral de vários países, tais como: Iraque, Irã, Síria, Israel todos eles tem Marte, Plutão e Saturno tensos o que dá uma pista muito grande do caráter bélico em que todos eles se encontram. Todos eles são similares. Parece piada! Acredite, eu fiquei pasma quando ela explicou este tema que vem estudando há muito tempo: Astrologia Mundial.

São por estes estudos que eu me pergunto se não somos marionetes dançando a sinfonia já escrita do Universo Paradoxal !!!!!!!!!!
Um beijo carinhoso!
Vera Chrystina

De: Anto
Data: Ter Fev 22, 2005 9:18 am
Assunto: Re: O mapa astral e o livre-arbítrio [p/Vera e Claudia]
Meninas,
É claro que eu não me incomodo de vcs usarem o meu mapa como exemplo, pelo contrário, até gosto, pq acho interessante saber como outras pessoas que estão de "fora" do problema olham prá ele.
Para aqueles que estudam astrologia:
Sou touro ascendente gêmeos e minha Casa 4 (família) está em Virgem, com 3 planetas fazendo um Stellium: Marte, Plutão e Urano, TODOS em oposição a Saturno na minha Casa 10 (carreira) em Peixes.
A minha vida INTEIRA fui testada: ou minha carreira ou minha família!
Por exemplo, tive de ...........; tive que ..............; Quer dizer, são coisas que eu NÃO escolhi passar - mas que tenho o livre arbítrio de decidir como vivenciá-las.
Poderia abandonar tudo e pensar só em mim - mas acho impossível que uma pessoa com o Meio do Céu em PEIXES seja tão individualista a este ponto.
Nesse ponto concordo com a Vera - o nosso livre arbítrio é restrito!
Ouvi uma vez que a vida da gente é como um filme com 4 finais diferentes - vc não pode escolher as personagens do filme nem o roteiro, mas a forma como ele vai terminar, depende das suas escolhas.

A astrologia é MUITO PRECISA! Imagine (exemplos pessoais) ........ Isso é muito comum em pessoas que possuem esta configuração.
Eu quando tive um retorno solar de Casa 6 com Plutão na Casa 5, perdi minha cadelinha (que morreu).
Meu ......... é aquário asc touro e possui Saturno na Casa 1 em Gêmeos mal aspectado - ele quase morreu de tuberculose (acreditem!!!) há alguns anos atrás. Então, a astrologia dá muito certo e é uma ferramenta que nos auxilia bastante, muito mesmo, pq mostra nossas potencialidades, mostra nossos pontos fracos e dessa forma nos ajuda a transcender esses aspectos.
(Se vc quiser saber mais sobre vc, encomende o seu mapa com a Vera e seu queixo vai cair, pode acreditar!).
Eu ri quando a Vera falou do seu lado aquariana, pq na minha vida só aparecem aquarianos! [risos]. Mas já tive relacionamentos com um sagitariano (casa 7) e um Ariano (Casa 11), entre os aquarianos - risos.
Talvez isso se deva ao fato do meu ascendente ser Gêmeos, a minha Lua estar na cúspide entre Capricórnio e Aquário (Casa 8-9) - eu me dou melhor em relacionamentos ........... em que as pessoas estão juntas pq querem, sem aquele "grude". Claro que isso tem a ver também com o fato de eu ter essa casa 4 muito problemática já. Obrigada meninas por citarem o meu exemplo aqui!
mil beijos
Anto.

De: Andréa
Data: Qua Fev 23, 2005 1:53 pm
Assunto: Livre-arbítrio

Não sei se o assunto ainda está em voga, principalmente depois do último e-mail da Vera, mas ontem estava lendo um livro sobre astrologia (ele é meio antiguinho, viu?) e achei esta parte interessante:

"Suponhamos que eu receba uma carta de minha tia, pedindo-me que vá encontrá-la; ela partirá de sua casa de campo às 10:30 e tomará o trem. Uma rápida consulta ao horário diz que só às 14:30 o único trem possível chegará ao terminal. Na estação espera-se que este trem encoste na plataforma 9. Se eu tivesse acesso às tabelas das autoridades ferroviárias, descobriria o nome do maquinista, a cor da máquina, seu número e inúmeros outros dados.
Levo um amigo e nos postamos no final da plataforma 9. Apontando para o relógio da estação, digo a ele que quando os dois ponteiros estiverem juntos - o termo astrológico é 'em conjunção'- várias coisas acontecem: uma máquina azul, de número 06, dirigida por um maquinista chamado Tom Cobbett, puxando uma composição, entrará na plataforma, e do trem descerá uma senhora idosa, de cabelos grisalhos. Talvez eu esteja errado - o maquinista pode ser substituído no último minuto, o trem talvez se atrase ou vá para outra plataforma - mas uma coisa é certa: esses fatos não foram causados pela conjunção dos ponteiros do relógio."
Beijos
OBS.: Escrevendo agora não sei se deu p ficar claro o q o autor quis dizer...

"Quando eu morrer, minha missão começará. Farei cair sobre a terra uma chuva de rosas (de graças) sobre todas as almas, para que amem e façam amar a Deus".
Santa Teresinha de Lisieux

De: Renata
Data: Qua Fev 23, 2005 2:15 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Livre-arbítrio

Não entendi muito bem não. Você poderia explicar melhor?
obrigada,
Renata

De: Cláudia
Data: Qua Fev 23, 2005 3:25 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Livre-arbítrio cbrei@...

Andréa,
Pra mim tb ficou um tanto confuso.
Beijos, Cláudia.

De: Andréa
Data: Qua Fev 23, 2005 4:44 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Livre-arbítrio Cláudia e Renata

Ai... pois é... foi uma catástrofe...
Ele fala das tendências, que há mais probabilidade das coisas acontecerem assim que assado, aí mostra como as tendências são só isso mesmo, que a gente pode mudar. Ficou melhor agora?

(Se bem que como o homem é comodista e tem medo de mudanças (mesmo que isto esteja acontecendo a todo momento), o q eu mais vejo é que acontece mesmo.)
Bjos

"Quando eu morrer, minha missão começará. Farei cair sobre a terra uma chuva de rosas (de graças) sobre todas as almas, para que amem e façam amar a Deus"
Santa Teresinha de Lisieux

De: Denise
Data: Qua Fev 23, 2005 5:20 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Livre-arbítrio Cláudia e Renata

OI, Andrea, meu pitaco:
é verdade, "os astros inclinam mas não obrigam" e no caso de pessoas evoluídas quanto maior a evolução maior a sua independência das inclinações astrais.
A analogia com os ponteiros do relógio é ótima, na verdade a Astrologia toda é isso, uma maneira de lermos um grande relógio, afinal os planetas influenciam os acontecimentos ou marcam por meio de suas posições as "horas" e assim as probabilidades? Eu acredito que é como se fosse mesmo, eles falam uma linguagem que pode ser decodificada assim, as probabilidades são marcadas pelas suas posições como o relógio ao marcar as horas nos indica se é hora disso ou daquilo.
beijos
Denise

De: Cláudia
Data: Qui Fev 24, 2005 7:33 am
Assunto: Re: [taroteimaginacao] Livre-arbítrio Cláudia e Renata

Oi, Andréa!
Sim, ficou muito mais simples.:)
Valeu. Beijos, Cláudia.

De: Fagner Souza
Data: Sex Fev 25, 2005 11:21 pm
Assunto: Re: [taroteimaginacao] O mapa astral e o livre-arbítrio
Metendo o bedelho...
Existe tendência e não destino. Podemos prever a tendência da vida, ou seja, se tudo continuar como está irá acontecer alguma coisa determinada. Mas jamais o destino, pois, a vida e o rumo dela somos nós que fazemos em momentos diversos e por ações racionais e irracionais.
Somos livres e com essa liberdade poderemos ser, conhecer, aprender, fazer... o que quisermos (claro que sempre com aquela antiga história de ter responsabilidade). E a partir disso nada está escrito, nada está certo.
Livre Arbítrio é uma das coisas mais poderosas e valiosas que temos.
Abraços,
Fagner Souza.

topo da página

"Andar com fé é saber que cada dia é um recomeço."
+06/2011 - Em memória do Mentalista, fundador do sítio www.mentalismo.net

Creative Commons License Mentalismo.net
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons
Ética é o princípio do verdadeiro sucesso; respeite você mesmo sendo ético. Peço a gentileza de manter meu nome como autor da página
e coloque um link para o website http://www.mentalismo.net. É sempre um prazer conhecer as pessoas que usam meus textos em seus sites, blogs, etc.
É proibido cortar ou alterar este texto, por qualquer razão, omitir o criador da página ou usá-lo para fins comerciais.
© 2001 - 2011 . Website por: Xenon


web developer:fm.

www.000webhost.com